Blogger Widgets

Anexos - Rainbow Rowell

Embora eu tenha amado Fangirl, esse livro não me cativou e foi uma leitura um pouco custosa. Em formato de emails mesclados com capítulos corridos, o livro não conquista.

Lincoln O'Neil é pago para ler o email das outras pessoas. Ele trabalha em um jornal que se preocupa muito com o que os funcionários enviam de seus emails profissionais, e para isso o contrataram para uma vaga noturna, em que ele monitora todos os emails acusados por um programa de computador como potencialmente pessoais, o Webshark. Quando algum email é constatado como pessoal por Lincoln, ele deve enviar uma advertência para o funcionário em questão.

Lincoln também está tentando, aos poucos, reconstruir sua vida depois de um relacionamento falho. O problema é que o relacionamento já acabou há nove anos e tudo parece indicar que ele não vai conseguir sair da casa de sua mãe e ter uma vida própria nunca mais.

Tudo muda quando Lincoln começa a ler emails de duas amigas, Beth e Jennifer, que sabem que estão sendo monitoradas, mas não exatamente ligam para isso. A conversa das duas é tão interessante para Lincoln que ele decide não enviar advertências e continuar a ler os emails das garotas. O problema é quando ele percebe que está começando a se apaixonar por Beth.

Eu amo livros com emails, isso é fato. Já li tantos nesse formato que nem consigo contar. O problema realmente foi ESSE livro em questão. Achei que a escrita da autora flui e é muito boa (senão nem o teria terminado), mas a história em si é muito ruim. Quando entrei para o livro, estava esperando uma coisa, mas quando comecei a constatar que o que eu achei que leria não estava se mostrando nas páginas, achei o livro bem ruim.

Comecei a ficar com muita raiva quando constatei que Lincoln é um ameba completo e não toma controle da própria vida em nenhuma instância. Eu concordo que o relacionamento anterior dele foi bem ruim, mas o drama todo que se instaura nele me deixou com raiva. As pessoas não são assim, elas se permitem sentir alegria às vezes.

Outro ponto que me fez torcer o nariz foi a forma perturbadora com que o Lincoln levou o negócio todo do Webshark e de ler o email das duas amigas. Chega em um ponto no livro em que não tem mais explicação pra ele ainda estar fazendo aquilo, e o tempo todo eu só fiquei com um sentimento muito estranho de que o Lincoln era perturbado.

Beth é uma personagem muito mal explorada e mal construída, bem como Jennifer. Acho que por ser o primeiro livro da autora, tudo se desenrola de um jeito meio estranho e o ponto da história não fica evidente. Li, li, li e li, mas não consegui me conectar em nenhum momento com a história - o que foi uma pena, pois realmente queria ter gostado desse livro. O tempo todo me pareceu que a autora tentava transformar o livro em um grande dramalhão mexicano.

Embora para mim o livro não tenha funcionado, para muitas pessoas pode funcionar! Ele é indicado pra todo mundo que curte YA e livros com problemas de relacionamento.
4 comentários

[Clube da Liga] Sorteio: Caixa de pássaros - Josh Malerman




O Clube do Livro da Liga é formado por amigos que resolveram arriscar uma leitura coletiva e se surpreenderam com a interação que foi proporcionada. Temos muitos gostos e ideias em comum, além de muitas discussões e risadas. Nós Somos: Arquivo Passional | Entre Palcos e Livros | Este Já Li | Leitora Viciada | Leituras da Paty | Livros e Chocolate | Mais que Livros | Meus Livros, Meu Mundo | Meus Livros Preciosos | MoonLight Books | Prazer, me chamo Livro | SA Revista | Segredo entre Amigas | Seguindo o Coelho Branco | Todas as Coisas do Meu Mundo

REGRAS OBRIGATÓRIAS:
1. Ter endereço fixo no Brasil
2. Comentar na resenha de um dos blogs participantes (links acima).

a Rafflecopter giveaway
ATENÇÃO:
1. A promoção começa dia 18/02 e termina dia 15/03
2. Perfis fakes ou criados exclusivamente para promoções serão desclassificados;
3. O sorteado receberá um email e terá 48 horas para respondê-lo. Caso não seja respondido será feito um novo sorteio;
4. O livro será enviado em até 30 dias úteis. 
5. Não nos responsabilizamos por eventual extravio ou problemas com o correio, nem caso os dados enviados estejam incorretos.

Boa sorte ;)
4 comentários

Fangirl - Rainbow Rowell

Divertido, cativante e lindo. Faltam definições corretas pra descrever como esse livro incrível mexeu comigo.

Cather está indo para a faculdade junto com a sua irmã gêmea, Wren. Desde pequenas elas sempre foram fãs de uma série de livros de um bruxo chamado Simon Snow, e sempre escreveram fanfics da série de livros que amavam.

Entretanto, quando vão para a faculdade, Wren decide que precisa de espaço para ser ela mesma e vai para um alojamento diferente do de Cather, também abandonando o fandom de Simon Snow. Cather se sente extremamente sozinha, principalmente quando descobre que sua colega de quarto não é das mais amigáveis e que o pai começa a passar por algumas dificuldades em sua nova vida sozinho na cidade natal das garotas. Wren parece não se importar mais com tudo isso e não ser mais irmã de Cather.

Taxada de esquisita por todos por ser fanática pela série de Simon Snow e escrever fanfics, Cather vai ter que lidar com todos os problemas de sua nova vida na faculdade, incluindo as aulas de escrita em que se matriculou e precisa escrever histórias originais, não fanfics. E, claro, vai ter que lidar com o seu coração agora, e com coisas que nunca pensou que teria que lidar.

Esse livro passou na minha vida como um trator. Ele é magnífico! Não sei direito por onde começar. As expectativas não eram lá muito altas, pois meu irmão tinha lido Eleanor & Park e já me avisado que não tinha gostado. Como nossos gostos são parecidos, comecei a ficar com medo. Já tinha ouvido coisas legais sobre esse livro, mas comecei a questioná-las. Quando dei por mim, já estava totalmente imerso na leitura da Rainbow Rowell!

Cather é absolutamente real. Wren é aquela pessoa que todos conhecemos e também é muito real. O legal desse livro da Rowell é que a profundidade dos personagens é gigantesca e tudo pelo que eles passam é real, isso é, acontece no mundo real. Problemas sérios, que mostram o quanto a vida é complicada, mas ao mesmo tempo bonita. O livro não é leve, inclusive tem vários momentos de emoções à flor da pele, mas isso só o deixa mais legal e nada despretensioso. O relacionamento amoroso do livro é muito bem construído e não tem nada de frufru.

O livro vai ser ainda mais especial pra todos os que passaram pela época em que escrever e ler fanfics eram hype absoluta e para todos os que já tentaram ou pensaram em escrever um livro. É incrível a forma como Rowell explora o mundo da escrita nesse livro e descreve exatamente pelo que todos passam de uma forma quase poética. É um must-read COM CERTEZA! (Resenha mais spoiler-free? Impossível!)
7 comentários

[Resenha+Promo] A morte de Sarai - J. A. Redmerski

J. A. Redmerski já é bem conhecida pelos NAs Entre o agora e o nunca e Entre o agora e o sempre, livros que eu sou apaixonada e indico sempre que posso. Só seu nome já seria suficiente para colocar A morte de Sarai na lista de desejados, mas, para aumentar ainda mais as expectativas, tinha uma galera falando o quanto este livro era incrível. Acredite, tudo que eu cheguei a pensar deste livro não me preparou para o que eu encontrei. É um daqueles livros que eu só sei dizer que é maravilhoso, mas quando você ler, vai ver que é muito mais.

Aos 14 anos, Sarai foi levada ao México e entregue para o traficante (de drogas e de mulheres) Javier pela própria mãe, tornando-se prisioneira dele junto de outras meninas. Ele acabou se apaixonando por ela e isso rendeu certas mordomias no cárcere - ela não sofre maus-tratos, tem direito a tomar banho no chuveiro e somente o chefão pode estuprá-la (sim, é forte, mas é isso). Ela vive na Fortaleza há 9 anos e sonha com o dia da sua liberdade, mesmo sabendo que as chances de sair viva dali seja quase inexistente. 

No outro cômodo, está Victor, um assassino de aluguel que negocia e executa planos milionários e extremamente perigosos. Assim que o vê por uma fresta, sabe que ele pode ser seu passaporte para a fuga. É quando ela decide arriscar tudo que tem - que neste momento é só a própria vida - para se esconder no carro dele e pedir ajuda. O problema é que ele não parece intimidado com suas ameaças nem compadecido de sua história, tornando seu plano ainda mais difícil. Porém, ela não esperava virar uma peça na mão dele e ele, por sua vez, se tornar a fortaleza dela. 

"- Porque você não procurou a polícia. Porque não fez nenhum esforço para entrar em contato com nenhum conhecido e teve dezenas de chances para isso. Porque você entrou de novo no carro. Comigo. Um assassino. Porque sabe que eu a mataria sem pensar duas vezes e não sentiria remorso, e mesmo assim está deitada ao meu lado. Aqui nesta cama. Sozinha e por vontade própria."

Normalmente, é fácil falar quem é o vilão, quem é a mocinha e quem é o herói no enredo, mas aqui não tem isso. A vítima também é cúmplice, o herói é um assassino e o vilão, bem, ele continua sendo mais um vilão da história. Mas então, para quem torcer? É aí que a mágica acontece: você, pessoa de bem, que não faria mal para uma formiguinha e fica indignado no twitter (ou faz textão no facebook) quando se depara com a notícia de algum crime, se pega torcendo para a dupla perfeita de anti-herói e, sério, melhor nem pensar muito sobre o quanto tudo é tão politicamente incorreto etc. Sabe quando você posta uma foto com seu amigo/namorado/irmão e coloca a legenda "partners in crime"? Então, aqui está o significado literal da frase. 

O que a Sarai tem em comum com as mocinhas dos NAs até então é um trauma, uma vida sofrida e uma vontade de se encontrar. Só. Enquanto elas se fecham e se tornam depressivas, Sarai vai pelo caminho contrário, se tornando uma pessoa dura, corajosa (na medida do possível) e com instinto assassino. Victor tem praticamente as mesmas características que ela, mas, aos poucos, deixa seu lado mais humano aparecer - raros momentos esses, devo frisar. Claro que eu esperava uma aproximação mais romântica e de rendição deles, mas via poucas brechas para isso acontecer. A tensão foi aumentando gradualmente conforme eu lia e nada parecia seguro, inclusive um possível envolvimento entre os dois.


A escrita da autora é muito rica e tem detalhes o suficiente para se tornar visual na cabeça do leitor. Sabe aquela coisa de ler e começar um filme na sua cabeça? Então, é o que rola aqui. O ambiente muda bastante de uma parte para outra e é incrível como só fui reparar nisso no final da leitura, o que mostra que tudo foi muito coerente e natural, sem necessidade de uma indicação de local ou tempo transcorrido. Apesar de ter um público em comum, acho esta obra bem diferente das anteriores da Redmerski, todo o cenário é sombrio e sanguinolento e, mesmo assim, bem atraente para o leitor. Sério, eu dormi pensando na história e acordei ansiosa para concluir a leitura (li no final de semana, poderia ficar até tarde na cama, mas quem disse que foi possível com esse livro embaixo do travesseiro?).

Se você gosta de New Adult, como eu, dê uma chance para esse dark romance - é bem diferente do que a gente tem por aqui, por enquanto, mas igualmente viciante. Agora, se você não tem paciência para NAs pelo excesso de mimimi e romance açucarado, devore este livro! O cara não é badboy por ser possessivo ou ter tatuagens (Travis, ainda te amo), ele é um anti-herói de verdade, coisa séria! É a junção mais que perfeita de thriller, policial, suspense e romance. Um jogo de gato e rato onde, sem querer, você escolhe um lado, mas isso não quer dizer que seja o lado certo. Ou que exista um.


Sorteio do livro
Em parceria com a Suma de Letras, vamos sortear um exemplar de A morte de Sarai para vocês. Para participar, basta preencher o Rafflecopter abaixo e boa sorte! A primeira entrada é livre e, para mais chances, preencha as demais opções. Não esqueça de ler os Terms and Conditions do formulário.
Não sabe como usar o Raffle? Veja este tutorial. Boa sorte ;)

20 comentários

Um dia de cada vez - Courtney C. Stevens

Nunca é fácil falar sobre livros com temáticas fortes. Parece que qualquer observação que eu fizer, estarei julgando a vida de alguém, porque "só quem passou por isso sabe". Aí fica bem complicado falar sobre a história em si, sobre os caminhos e sobre a reação de cada personagem. Então, bem, a ficção expõe um problema real e se envolver ou não com os dramas dos personagens depende quase que exclusivamente da empatia do leitor. E não digo sobre ser nobre ou não, é um sentimento natural que pode surgir com a leitura. Já teve casos onde eu simplesmente não dei a mínima para o "problema" da protagonista (veja Por você), mas também já me vi no lugar do outro (veja Cartas de amor aos mortos). Felizmente, junto deste último, está Um dia de cada vez.

"Alexi Littrell era uma adolescente normal até que, em uma noite de verão, sua vida é devastada. Envergonhada, a menina começa a se arranhar e a contar compulsivamente uma tentativa de fazer a dor física se sobrepor ao sofrimento que passou a esconder de todos. Ela só consegue sobreviver ao terceiro ano do ensino médio graças às letras de música que um desconhecido escreve em sua carteira. As canções parecem adivinhar o que o coração de Alexi está sentindo.
Bodee Lennox nunca foi um adolescente normal, mas agora é o menino que teve a mãe assassinada pelo pai. Em seguida, ele vai morar com os Littrell, e Alexi acaba descobrindo que o Garoto Ki-Suco, o quieto e desajeitado menino de cabelos coloridos, pode ser um ótimo amigo.
Em Um dia de cada vez, Alexi e Bodee, ao mesmo tempo em que fingem para o resto do mundo que está tudo bem, passam a apoiar um ao outro, tentando viver um dia de cada vez." Sinopse retirada do Skoob 

Eu estava terminando este livro enquanto esperava para ser atendida no banco e um rapaz, que estava do meu lado, pediu para ler a sinopse. Depois, ele falou que parecia com A culpa é das estrelas e não pude conversar com ele sobre algumas diferenças, porque minha senha, finalmente, havia sido chamada. Quando cheguei em casa, comecei a pensar melhor sobre a observação do moço só de ler um resuminho e, sabe, posso entendê-lo. Dois jovens lidando com tragédias, querendo ser normais, cientes da própria condição e encontrando no outro, uma salvação. Eu poderia mesmo dizer isso para qualquer um dos dois livros, mas o que difere é o contexto. Enquanto uma tem uma doença terminal, outra está mascarando a dor emocional com arranhões profundos no pescoço; enquanto Hazel relê seu livro favorito e sonha em conhecer o autor, Alexi completa letras de músicas na carteira da aula de psicologia deixadas pelo Capitão Letra de Música e fica insegura sobre querer conhecê-lo, pois tem medo de acabar o encanto.


O mérito da autora está em conseguir trazer o tema complexo em um ambiente jovem e comum (ao menos nos Estados Unidos). Não é como se a protagonista se trancasse em casa e se recusasse a ver qualquer pessoa, ela tenta manter as aparências de ~garota normal~ justamente para que não notem o quanto ela mudou e, consequentemente, o que levou à mudança. Então temos o ambiente escolar, as amigas doidas para encontrar um par para Alexi, um garoto que tenta conquistá-la, um baile e... um garoto tão machucado quanto ela que se aproxima sorrateiramente e que acaba sendo uma peça fundamental na história dela. Tudo é muito crível e realista. Não há julgamentos nas atitudes da protagonista, há somente o que faz para conseguir viver um dia de cada vez, sem desmoronar e "sem atrapalhar a vida dos outros".

Em nenhum momento falei qual o tema central do livro, porque é mantido certo mistério na história, então o jogo feito para deixar o leitor com a pulga atrás da orelha é interessante de se acompanhar. Temos uma leve desconfiança e depois as coisas são confirmadas (ou não). E posso dizer que fui surpreendida pela grande revelação e consegui compreender o porquê de tanta insegurança da Alexi em falar e tudo mais que uma ação desencadeou. Não sei que tipo de final eu esperaria dessa história, então ainda não consegui assimilar direito se fiquei satisfeita com ele ou não, mas é bem coerente. Um epílogo cairia muito bem, devo dizer.

Os principais atrativos do livro que destaco são a escrita da autora, que flui de forma leve, apesar do peso do enredo; a  protagonista que eu só queria pegar na mão e dar apoio; as amigas de Alexi que são como as amigas que eu tenho (e provavelmente você também) e, claro, o Garoto Ki-Suco. Apesar de achar que ele merecia um livro próprio, seu cuidado e respeito com a Alexi são encantadores. Acredito que esse livro pode ser útil - além do entretenimento da leitura - para adolescentes, pois muitos podem se identificar com a mocinha de diversas formas. E, assim como ela, eles precisam ter voz e precisam ser ouvidos.
7 comentários

O Chamado do Cuco - Robert Galbraith

Depois de toda a falação e a notícia final de que J. K. Rowling estava assinando livros com esse pseudônimo e de todo o meu ano na faculdade (mais ou menos) terminar, decidi dar uma chance pra O Chamado do Cuco. É SENSACIONAL!

Lula Landry, uma das modelos mais famosas e bem pagas do Reino Unido, está morta. Cuco, como era chamada pelos amigos, caiu da sacada de seu apartamento e mergulhou diretamente para uma morte terrível, que gera uma comoção e uma confusão na mídia. Todos estão convencidos de que a modelo problemática, fútil e mimada não encontrava mais motivos para viver, suicidando-se.

Entretanto, John Bristow, irmão de Landry, tem a absoluta certeza de que não houve suicídio. Ele está convencido de que uma das vizinhas da modelo que deu um depoimento à polícia, está certa: houve gritos e uma briga antes de Lula cair da sacada de seu apartamento.

Contrariando a todos, Bristow resolve contratar o detetive Cormoran Strike para investigar as circunstâncias da morte da irmã. É assim que o veterano de guerra estúpido e cômico assume o caso, nos levando a desvendá-lo juntamente com ele próprio.

Esse livro é simplesmente genial. Eu posso dizer que gostei, até agora, de todos os livros da J. K. Rowling que já li, e esse com certeza carrega toda a genialidade da autora. A trama é toda interligada e a linha de investigação do Cormoran é bem legal, porque nós, que estamos lendo, também não sabemos quem é o assassino e o que está acontecendo. O narrador descreve as situações, os acontecimentos e os sentimentos dos personagens, mas em nenhum momento nos é revelado o que Strike pensa enquanto interroga os suspeitos, nos fazendo tentar adivinhar até o fim quem matou Lula Landy e se de fato houve um assassinato.

O ambiente do livro é muito real e engraçado! Parecia que eu estava vendo um reality show sobre a vida de alguma estrela de Hollywood. A futilidade do mundo das modelos, dos cantores pop, o mundo da mídia cruel e devoradora, fotógrafos, motoristas, intrigas familiares, dinheiro e luxo. Tudo isso marca presença nesse suspense de tirar o fôlego.

Sou muito fã de livros de suspense e mistério ao estilo Agatha Christie e Arthur Conan Doyle, e esse livro para mim tem tudo dos dois. Cormoran Strike é um detetive inteligentíssimo, irônico e divertido, e acompanhar o caso é prazeroso. Robin, assistente de Strike, é uma Hermione crescida, sem mais, ninguém nunca vai tirar essa ideia da minha cabeça (eu sou daquelas pessoas que não supera hahahaha). Tudo na trama faz com que você entre de cabeça e não consiga mais largar o livro até o final, desses livros que você fica pensando o dia todo e tenta averiguar quais foram os depoimentos mais incriminadores e quem é o culpado.

De tudo o que mais me fascinou, o final com certeza bateu o recorde. É muito surpreendente e faz você ter aquele sentimento de que a resposta sempre esteve embaixo do seu nariz, mas você nunca prestou atenção o suficiente. O estilo da autora é inconfundível, e essa série tem tudo para ser o que Harry Potter foi.

A edição desse primeiro livro é bem bonita e caprichada! Vale a pena ter na estante. Tenho a capa mole mesmo, e achei bonita ainda assim. Leiam, leiam, leiam! E comentem comigo sobre o final, porque preciso comentar sobre as expectativas e apostas e a revelação. Segundo a autora, essa série terá mais de sete livros! Mas, pelo que pude perceber, um livro é independente do outro.
4 comentários

[Promoção] Aniversário do Livros e Citações

ganhadores 

O Livros e Citações chegou a seu terceiro ano de vida e nós, junto com outros blogs parceiros, vamos sortear 803 livros para NOVE leitores sortudos.

Siiiim, chegamos ao nosso terceiro ano e dessa vez preparamos um mês todo especial para nossos leitores. Durante fevereiro, realizaremos gincanas diárias valendo um livro por dia e quem conseguir mais pontos ainda leva um combo de livros no final. Para melhorar, também sortearemos kits em nossa fanpage com canecas, camisetas, livros e um KINDLE! E tudo isso conseguimos graças a vocês, muito obrigada por nos acompanharem e toda a força que dão ♥
Equipe Livros e Citações


Regras Gerais: 
 1. Ter endereço de entrega em território nacional; 
2. A promoção começa em 01/02/2015 e será finalizada em 28/02/2015; 
3. Responder o e-mail de contato no período de 48 horas após o sorteio. Caso não haja resposta, o kit será sorteado novamente; 
Sobre o envio: 
 1. Os prêmios serão enviados de forma separada, com cada blogueiro responsável pelo livro que cedeu. Os blogs terão um prazo de até 30 dias corridos para ENVIAR o livro ao ganhador, começando a contar a partir do dia 05/03; 
2. Nenhum blog se responsabilizará por eventuais extravios, roubos ou perdas da transportadora; 
3. Caso algum dos ganhadores forneça dados errados e o livro retornem ao remetente, não será feito um segundo envio; 
4. O ganhador que descumprir alguma das regras, ou for sorteado com uma entrada não obrigatória que não tenha sido cumprida, será desclassificado. 
 ATENÇÃO: perfis fakes ou utilizados apenas para participar de promoções serão desqualificados
3 comentários

Por você - Laurelin Paige

É complicado falar de um livro que eu sei que tem tudo para fazer sucesso entre os leitores de romances mais quentes (não necessariamente só eróticos), mas não me agradou tanto assim. Li o livro de um dia para o outro, sei reconhecer seus diferenciais, mas não rolou aquela química. Ainda vejo tanto potencial na história que fico me perguntando por que a autora não optou por outros caminhos, outros conflitos, outros "quases".

"Diferentemente da maioria das heroínas, Alayna Withers conhece bem o seu poder de conquista. Adepta de figurinos provocantes, chama a atenção com suas calças justas e decotes pra lá de generosos. Principalmente quando está em ação trabalhando como atendente da boate Sky Launch. Do tipo segura, leva com bom humor as cantadas dos clientes e costuma flertar com David, o gerente da boate. Até que é surpreendida pela presença desconcertante de Hudson Pierce, um homem lindo e sexy, que aparece numa noite na boate.
A atração entre eles é imediata. O choque eletrizante de uma simples troca de olhares provoca reações diversas e assustadoras em Alayna. Calores, desejo, palpitação, excitação... tudo ao mesmo tempo. Mas não foi apenas a sua beleza incomparável e nem a sua intensa exibição de masculinidade que provocou aquele calor entre as minhas pernas... Foi como ele olhou para mim, de uma forma que nenhum homem jamais tinha olhado..., diz a protagonista.
Empresário bem-sucedido e habilidoso nos negócios, Hudson está prestes a se tornar o mais novo proprietário da boate. Direto ao ponto e sem rodeios, ele resolve oferecer um inusitado trabalho extra a Alayna, que aceita a proposta."
Aos poucos, Alayna tenta entender o temperamento possessivo e dominador de seu mais novo chefe. Enquanto isso, cada um deles também terá de lidar com seu próprio passado destrutivo. E com a convivência acabam descobrindo que a atração sexual não é o único ponto em comum entre eles."
Sinopse retirada do Skoob.

Entre várias outras coisas que me atraem num enredo, fingir uma relação é uma delas.  Quando Hudson fez sua proposta, já comecei a imaginar esses dois fazendo ceninhas na frente dos outros de aquecer o coração shipper e, em particular, ambos se questionando o que era real ou não, mas mantendo distância. Sério, pensei em toda tensão sexual que isso iria gerar e como o livro ficaria impossível de largar. Mas eis que o cara resolve que, além de uma relação romântica de aparências, ele também queria uma relação sexual de verdade. Aí quebrou o encanto, porque não rolou resistência, não rolou a tal tensão sexual quase palpável. Eles fingiam se amar na frente dos outros e faziam de tudo no quarto depois. Poxa, tantas coisas poderiam ser exploradas nisso. 

O que deu uma aquecida na história e me fez torcer um pouquinho mais pelo casal protagonista foi, sem dúvidas, a mãe de Hudson. Bateu aquele sentimento de girl power e eu faltava gritar para a Alayna "vai lá, garota, mostra pra essa cobra quem é você!". Apesar da pontinha de raiva que senti, essa foi a melhor parte da leitura. Onde eu consegui, de fato, sentir algo com a história. Já tô na expectativa do que ela vai aprontar em Com você (#2) e como o casal vai lidar.

Por você tenta trazer novidade para o gênero já saturado, mas essa é a sensação que tenho com quase todos os romances eróticos que leio. De alguma forma, as autoras tentam ser diferentes e acho que isso só tem a acrescentar para quem curte o estilo, mas às vezes parece gritante a necessidade de "ter uma escrita melhor de Cinquenta Tons"; "uma mocinha bem diferente de Anastasia Steele" etc. Claro que apreciei o fato da Alayna ser mais decidida, menos puritana e inteligente, mas não rolou uma identificação ou empatia com seu problema. Parecia não combinar com a mocinha que ela se mostrava - a dependência do irmão me pareceu até incoerente, mas enfim.

Indico este livro para quem gosta mesmo de romances no geral - porque vejo muito disso aqui, as cenas quentes parecem um anexo, muito bem vindo, à história. Apesar de não ter rolado aquela química entre eu e o livro, vou continuar a trilogia, pois o final me deu esperanças de uma sequência um pouquinho melhor. Ele é o tipo de livro muito bom, tecnicamente falando, mas apenas bom na minha "sensação de leitura". 

P.S: A edição é mesmo como um presente de estreia do selo Fábrica231 da Rocco, com as bordas das páginas lilás e outros detalhes na mesma cor. O livro faz parte da "Coleção violeta" que vai publicar romances do tipo e também tem um grupo totalmente feminino no Facebook para discussão de vários assuntos pertinentes (veja aqui).
2 comentários