A menina que fazia nevar - Grace McCleen


Sabe aquele livro que por mais simples que seja traz nas suas páginas uma história carregada de emoção e questionamentos que te deixam sem palavras?

Judith McPherson é uma garotinha de 10 anos que vive com seu pai. Foi criada por ele sobre as rédeas firmes da religião, com uma rotina rigorosa de leitura de Bíblia e idas à congregação (a qual ele e a mãe de Judith ajudaram a construir). Por ser muito religiosa, não tem muitos amigos na escola e, fora os adultos da congregação, ela não se relaciona com muitos pessoas, levando assim uma vida solitária. Seu passatempo preferido é juntar sucata para ajudar na construção da "Terra Gloriosa", uma maquete de como ela acredita que será o mundo após o Armagedom.

Um dia então, na escola, o valentão Neil Lewis diz a Judith que irá colocar a cabeça dela na privada. A garotinha fica apavorada e acredita que morrerá quando isso acontecer. No domingo então, quando ela vai para a congregação com seu pai, um palestrante convidado fala sobre fé, deixando Judith completamente maravilhada. Ela começa a acreditar que se tiver fé o bastante conseguirá escapar da morte e Niel não colocará sua cabeça na privada. Mas só um milagre pode ajudá-la. E então, pensando em seu quarto sobre como se livrar de Niel, ela pensou na neve. E pensou com vontade, com fé, até que começou a fazer nevar na sua Terra Gloriosa. E quando ela acorda no dia seguinte... está nevando!

Porque a fé é igual à imaginação. Ela vê uma coisa onde não há nada, dá um salto e de repente você está voando.

Judith acredita piamente que a neve foi um milagre que ela conseguiu fazer e começa a se questionar sobre isso. Será que existem mesmo milagres assim? Sua fé foi mesmo tão forte capaz de fazer uma nevasca cair e ela não ter aula? Ela tenta conversar com seu pai, explicar que foi ela que fez nevar, mas ele não dá bola. Então, sem ter com quem conversar sobre esse seu dom, ela começa a conversar com Deus, e ele a responde! E assim, conversando com Deus, aumentando sua fé cada vez mais ela começa a fazer cada vez mais milagres para ter um pouco de paz na escola. Mas esses milagres começam a ter consequências fora da escola. Cada novo milagre que ela faz acontecer, acaba trazendo com ele uma consequência ainda maior. Judith começa a se questionar se esse dom é realmente bom, e se ela deve ou não parar com seus milagres.


(...) então comecei a falar com Deus. Sempre achei que era só uma questão de tempo Ele responder. Pensava nisso como uma chamada telefônica de longa distância. A linha era ruim, havia passarinhos sentados em cima dela, caía uma tempestade, então eu não conseguia entender o que a outra pessoa estava dizendo, mas nunca duvidei de que, no fim, iria ouvir.


A narrativa é simples, emocionante e envolvente. Judith é exatamente como uma criança de dez anos deve ser: inocente, curiosa mas com uma sagacidade única. Ela nos faz ver o mundo exatamente como ela, e como qualquer criança de dez anos vê, sem exageros, sem forçar nada e com uma carga emocional enorme. Muitas vezes durante a leitura me peguei com vontade de pegar a Judith no colo e cuidar dela. Dotada de uma fé singular, a menina faz o leitor perceber que o milagre está muito além de fazer o impossível acontecer, mas sim está presente nas coisas mais simples da vida, como um simples dia com neve.

Acho que as pessoas não acreditam nas coisas porque têm medo. Acreditar às vezes significa que você pode estar errado e, se você está errado, pode se machucar.

Claro que além de toda a questão da fé e de acreditar no impossível, a autora levanta outras questões cotidianas que também merecem seu destaque como o bullyng sofrido por Judith, o relacionamento dela e de seu pai que, apesar de num primeiro momento parecer desprovido de afeto, com o passar dos capítulos percebemos que se trata mais de um equivoco de como demonstrar esse afeto.

Aprendi que nada é impossível e que só parece impossível porque ainda não tinha acontecido.

Por trás de toda simplicidade da história e toda demonstração de fé, a crítica religiosa é uma coisa que não dá pra ser ignorada. Depois de ler algumas resenhas descobri que a autora, Grace McCleen, foi criada na religião fundamentalista dos últimos dias e talvez por isso Judith pode ter um pouco de Grace. Não tem como não questionar alguns pontos como o pai de Judith a cria, mas tudo acaba tendo um porquê e o leitor consegue captar nas entrelinhas os motivos que levaram o pai de Judith a agir de tal maneira.

Por mais que seja um infanto-juvenil, é um livro que qualquer pessoa pode (e deve) ler. É um livro brilhante gente, que nos faz repensar muita coisa sobre a vida, a nossa fé e até mesmo sobre nós mesmos.

Comentários
40 Comentários

40 comentários:

  1. Quando vi a capa do livro e o titulo não pensei que se trataria de uma estória sobre fé. Interessante! Lembrei de uma frase (não sei que foi que falou):
    "Nada é impossível, se você acreditar."

    :)
    Tem um meme para você lá no blog: http://anna-gabby.blogspot.com.br/2013/04/meme-incentivo-leitura.html

    ResponderExcluir
  2. Fiquei interessada em conhecer essa trama emocionante, :)

    ResponderExcluir
  3. Estava louca para ler este livro , parece ser ótimo !!

    Aproveito a visita ao teu blog para te convidar a visitar o meu , sinta-se em casa rsrsrs >> http://paaposdegarota.blogspot.com.br/ <<

    Mt obg (:

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pela resenha Carol! Já li A Menina que Fazia Nevar e amei! Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  5. Olá. Sou do blog "Literamore".
    Adorei seu blog. muito bonito e organizado.
    Queria convidar você a visitar o nosso blog.
    Ficariamos feliz com sua visita! obg.

    http://literamore.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Doida pra ler o meu, que chegou esses dias. É uma ótima história, gostei desse livro.

    ResponderExcluir
  7. Olá!Bom adorei ler sua resenha,ela esta completa e cheia de explicação para os leitores.Mas ainda não tive aquele tick,que me da,quando leio uma resenha,para ler este livro.Talvez seja por causa do gênero ou dá estoria que não me chamou muito atenção.Porem ele não deixa de ser um bom livro.Quem sabe mais a frente eu consiga lê-lo!

    Parabéns pela resenha!

    beijokas Ana Zuky

    sanguecomamor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Eu ouvi falar do livro, no blog Minha Estante, do Bruno, e eu vi, que ele amo o livro também, já tinha visto a capa antes, e vi a resenha, só que dizem que a autora, meio que "escondeu" o fim, quase não teve fim, mas, mesmo assim, eu quero muito ler!! Deve ser perfeito!! Porque eu também tenho uma familia meio religiosa, assim como os pais da menina, quero tentar ler!!

    http://rainhadoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Ah, que lindo deve ser esse livro!
    Amei a resenha, deu pra eu captar bem a essência da história e apesar de ter alg sobre religião, coisa que me incomoda um pouco nos livros, quero muito le-lo ;)
    Beijos, bom início de semana =*

    @morenalilica
    Doce Insensatez

    ResponderExcluir
  10. eu tinha me interessado pelo titulo e a capa é super fofa..
    mas a sinopse nao me inspirou muito, coisa que voce fez totalmente ao contrario com sua resenha! rs

    Beijinhos, Dreeh.
    Livros e tudo que há de bom

    ResponderExcluir
  11. Sempre fico com o "pé atrás" quando o livro aborda questões religiosas. Quando o autor coloca sua própria religião num livro ou tenta denegrir a religião de alguém. Fica parecendo "catequese" e isso não me atrai em uma leitura.
    No mais, capa é linda!

    Adorei a resenha
    Isa
    www.passaporteliterario.com

    ResponderExcluir
  12. AAAAHHH Ganhei esse livro em uma promoção e não vejo a hora de ler ele e dar minha opinião. Só ouço falar bem dele *-* Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  13. Esse livro chegou aqui pra mim ontem e já quero lê-lo logo. Só terminar a leitura de "A Árvore Envenenada" e logo em seguida devorá-lo.

    Adorei sua resenha, Carol.

    Beijos, Romário.
    www.naomeentendamal.com.br

    ResponderExcluir
  14. Inicialmente, não leria esse livro, pois não faz muito o meu estilo. Mas depois de algumas resenhas, inclusive essa, fui convencido de que devo ler, pois aborda temas atuais, principalmente essa questão de Bullying. De cara, já odiei esse tal de Neil Lewis, e adoraria que ele se desse ma, mas acho que não rola em um tipo de história como essa.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  15. Ei Carol, tudo bem?
    Amei a capa desse livro, e parece bem legal pela sua resenha. O conteúdo me lembrou uma mistura da essência de 'A menina que não sabia ler' com 'Xadrez' lindo <3 Li os dois, mas esse último da Fabiane Ribeiro, nacional, me emocionou muito!
    Essas temáticas de religião estão sendo bem usadas nos livros atuais né!!
    Beijocas da MG :*

    ResponderExcluir
  16. O livro me chamou a atenção logo no lançamento. Eu não sei, tem algo na narração de crianças que chama minha atenção. Isso parece estranho, porque obviamente não foi uma criança que escreveu, mas quando o autor é bom (e existem muitos deles) ele consegue passar essa visão simples, inocente e impactante que os rebentos têm. Achei lindas as passagens que você selecionou, e só fiquei com ainda mais vontade de ler. Ótima resenha, não sabia dessa relação religiosa da autora, foi a primeira resenha que lí que comentou a respeito. Obrigada.

    ResponderExcluir
  17. Gostei muito da sinopse, é uma história que foge da temática que predomina hoje em dia no mercado literário. Adorei e quero muito lê-lo.
    Beijos
    http://literaturaeeu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Acho a capa do livro tão bonita! A maioria dos bons livros começam com uma boa capa. Adorei a resenha :)

    ResponderExcluir
  19. Me desculpem a sinceridade, mas não leria este livro. A história é bem boba! hahahaha

    ResponderExcluir
  20. Olá! Gosto muito de ler resenhas dos livros... assim posso saber se poderei gostar da estória ou não. Achei essa interessante (também amei a capa)! Estou louca para lê-lo. Bj.

    ResponderExcluir
  21. Oi querida!
    Sua resenha me instigou bastante, não conhecia o livro e a história parece ser fantástica!
    Bom saber dessa ligação religiosa que a autora tem e passa para o livro!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  22. Muito boa.Adorei o livro e sua resenha.Acho muito interessante a maneira abordada pelo autor sobre fé,acreditar naquilo que não se pode ver e crer naquilo que não se pode comprovar.E as crianças tem essa capacidade,pois ainda não foram corrompidas pela maldade e podridão da vida.Não que,não tenha adultos que creiam,mas são mais suscetíveis que uma criança.Por isso Deus os protegem.Amor divino.

    ResponderExcluir
  23. Humm, livro bem interessante. Vc escreve muito bem. E esse livro parece ser muito bommm. Tudo que tem a ver com fé é lindo!

    ResponderExcluir
  24. Eu não sabia que este livro falava também um pouco de religião. O livro parece ser gostoso de se ler, conforme vc mencionou na sua resenha.
    Vc foi clara e sucinta.
    Bjokass

    ResponderExcluir
  25. Nossa que livro lindo, só de ler a sinopse fiquei emocionada, sabe porque quando se tem filhos vc vê de perto como cada um deles a sua maneira de agir com a vida, apesar de não seguir nenhuma religião pois sigo a doutrina espirita, sempre incentivei minha filha Isabella de 6 anos e o Rafa de 14 a ter fé e acreditar em Deus, um dia ela me disse que tinha rezado para o papai do céu para o dia fazer calor e ela ir na piscina no colégio e fez um dia maravilhoso, a fé das crianças é inabalável, e quando ficamos adultos acabamos ficando céticos demais, mas sempre há tempo de acreditar!!!
    Bjinhos Meninas

    Dani Casquet livrosajaneladaimaginacao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  26. Entendo um pouco dessa temática e do que a Judith passa relacionado ao pai e a fé. Meu pai é pastor então fui criada na obrigação de acreditar que só Deus cura e nunca, nunca mesmo usar remédio, por exemplo. Sofri muitos anos com isso. Hoje em dia tudo é mais leve, as pessoas amadurecem, mas creio que será muito interessante ler, me identifiquei bastante! Beijo, mari Scotti

    ResponderExcluir
  27. Ah, eu sou louca por esse livro, a capa é maravilhosa e me chamou muito atenção, tal como o título. Livros religiosos andam atraindo muito a minha atenção desde que eu li A Cabana do William P. Young e amei, acredito que irei gostar muito deste e espero ler ele em breve.
    Agradeço pela resenha maravilhosa, aguçou ainda mais minha vontade de lê-lo.
    Beijos. *-*

    ResponderExcluir
  28. Adorei a resenha.
    Achei interessante a autora usar a visão de uma garota de 10 anos para falar um pouco sobre religião, fé e bullying. Parece ser um livro bastante envolvente e fiquei com muita vontade de lê-lo.

    ResponderExcluir
  29. Depois dessa resenha linda eu acho que agora sim eu posso ler esse livro. Gosto muito dessa temática que parece despretensiosa mas no fim mostra algo fundamental para nós, leitores! Acho que uma personagem principal com apenas 10 anos, inocente e com fé, conquista qualquer um. Por isso eu amei A Menina que Roubava Livros! Esse vai ser minha próxima leitura graças a essa resenha :D
    Descobrindolivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  30. Huum, confeso que eu nao estava muito animada para ler o livro, mas sua resenha mudou um pouco minha visao sobre o livro rsrs
    acabei de acrescentá-lo a minha lista para futuras leituras =))

    Beeijinho. Dreeh
    Livros e tudo o que há de bom

    ResponderExcluir
  31. Estou lendo o livro. Realmente muito incrível! Não tinha visto a resenha , mas agora que li me empolguei mais ainda!

    ResponderExcluir
  32. Nossa amei a resenha, não botava mta fé nesse livro por causa da capa, mas me surpreendi... com certeza entra na minha lista de desejados

    ResponderExcluir
  33. Resenha incrível! Já li algumas outras e só faz aumentar a minha vontade de ler logo este livro. A capa é linda e a estória parece ser cativante.

    ResponderExcluir
  34. Nossa..achei superinteressante. Um livro que fala de religião e na vdd fanatismo e como isso pode afetar a vida de uma pessoas ou de várias.

    ResponderExcluir
  35. nunca tinha ouvido falar deste livro, mas sua resenha fez eu me interessar. história ótima, abordar criação religiosa por criança de 10 anos, e carregada de muita emoção, deve ser um brilhante livro mesmo.

    ResponderExcluir
  36. Esse é um daqueles livros que me chamam atenção pelo conjuto de capa e titulo... logo que vi fiquei louca pra le-lo ai fui dar uma olhada na sinopse e ai fiquei com mais vontade ainda... a resenha só fez aumentar essa vontade...

    ResponderExcluir
  37. Oi adorei.. muito obrigado, depois de ter lido sua resenha...me interessei pelo livro....mas vc já leu o livro reverso ... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..
    www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

    ResponderExcluir
  38. To lendo ele, é incrível uma historia cativadora
    Que nos traz questionamentos...leiam. ótima sinopse ammeeei

    ResponderExcluir

Deixe sua opinão ;)

Comentários ofensivos serão excluídos.
Caso tenha um blog, deixe o link no final do comentário.