Mini-Opiniões: Fragmentados - Neal Shusterman

O que você faria se soubesse que seus pais pretendem enviá-lo (a) para um campo de colheita onde pessoas são fragmentadas e suas partes transplantadas para qualquer um que possa pagar?

Em Fragmentados Connor, Risa e Lev serão enviados para estes campos. Cada um por uma razão. Connor é um adolescente com um temperamento explosivo e raramente consegue ficar fora de confusão. Seus pais estão cansados disso. Risa cresceu numa instituição para crianças tuteladas pelo governo, mas o mesmo chegou a conclusão de que ela não tinha utilidade para eles e significava mais gastos. Lev era um "dízimo". Foi gerado para ser entregue à fragmentação. E sabia disso.

Num mundo pós guerra, a Lei da Vida foi estabelecida: todos os jovens rejeitados são destinados a terem seus corpos reduzidos a pedaços. Unidos pelo acaso e por uma busca desesperada por sobrevivência, Connor e Risa se tornam companheiros numa jornada alucinante e igualmente perigosa. Lev acaba se unindo a eles acidentalmente, mas ninguém parece se importar com seu desaparecimento. Inclusive seus pais.

A Lei da Vida - A Segunda Guerra Civil, também conhecida como "Guerra de Heartland", foi um conflito longo e sangrento motivado por uma única questão. Para acabar com a guerra, uma série de emendas constitucionais conhecida como "A Lei da Vida" foi criada. Ela satisfez tanto o exército Pró-Vida como o Pró-Escolha. A Lei da Vida declara que a vida humana não pode ser tocada desde o momento da concepção até que a criança chegue a idade de 13 anos. No entanto, entre os 13 e os 18 anos, a mãe ou o pai pode escolher "abortar" retroativamente uma criança... Com condição de que a vida da criança não tenha, "tecnicamente", um fim. O processo pelo qual uma criança é ao mesmo tempo eliminada e "mantida viva" é chamado de Fragmentação. Agora, a Fragmentação é uma prática comum e aceita pela sociedade.

Esse livro já estava na minha lista antes mesmo do lançamento, quando Novo Conceito anunciou a sinopse. Sou fã de distopias e, claro, não deixaria essa passar. Durante a leitura fui tomada por um mix de sentimentos, desde raiva até tristeza. Assuntos polêmicos como o aborto e religião fazem parte do enredo e gera opiniões fortes e conflitantes. Na maior parte do tempo me vi revoltada com a sociedade construída pelo autor e fui profundamente tocada num capítulo em especial. O início da leitura é um pouco lento e não dá pistas do que encontraremos no decorrer da história, então me surpreendi em vários momentos e fiquei feliz com o desenvolvimento positivo da trama e com suas críticas implícitas. O livro é dividido em sete partes com três protagonistas e narrado em terceira pessoa acrescentando, esporadicamente, um ponto de vista diferente (um policial, um médico e etc.), deixando-nos a par dos acontecimentos por vários ângulos.

Gostei bastante do livro e recomendo sem dúvida. Mesmo não tendo me agradado desde o primeiro capítulo, minha avaliação, no geral, não foi comprometida. :)

Classificação: 5/5
Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. Já vi algumas resenhas deste livro. Está na minha lista. A novo conceito ainda vai me levar à falência! hahahaha

    Beijos!
    Seguindo o blog.
    http://postandotrechos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Louca para ler esse livro, já vi muita sresenhas positivas sobre ele.

    Adorei o blog.
    Bjs
    http://leituranomeumundo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Sabrina,

    Quando a Novo Conceito anunciou esse lançamento e eu li a sinopse fiquei bem curiosa pelo livro, porque adoro uma distopia.
    Mas confesso que ao saber que se trata de uma série de muitos livros fiquei desanimada e acabei nem pedindo o livro para resenha com medo de gostar muito e os próximos livros da série não serem publicados ou demorarem muito para sair.

    bjs
    Tais
    http://www.leitorafashion.com.br

    ResponderExcluir

Deixe sua opinão ;)

Comentários ofensivos serão excluídos.
Caso tenha um blog, deixe o link no final do comentário.